Guia alimentar: 5 dicas sobre a alimentação de seu cão

Guia alimentar: 5 dicas sobre a alimentação de seu cão

Cães precisam de uma dieta balanceada, dos nutrientes e calorias corretos, suficientes para suprir suas necessidades energéticas. Por isso, é fato que uma alimentação equilibrada é sinônimo de saúde para o seu cachorro.

Porém, no momento de definir uma alimentação saudável para o seu pet, podem surgir algumas dúvidas. Como, por exemplo, quais são os melhores horários para alimentá-lo, como definir a quantidade e o tipo de ração, quais frutas são liberadas, se é permitido oferecer carne crua e quais são os alimentos extremamente proibidos na dieta canina.

Por isso, no artigo de hoje, preparamos um guia alimentar com cinco dicas sobre a alimentação do seu cão. Vamos lá!

 

  1. Qual é o melhor horário para alimentar o cão?

Ter horários fixos para alimentar o seu cão é muito benéfico, pois, além de permitir que você monitore a saúde do seu pet, estabelece uma rotina para ele. Grande parte dos médicos veterinários recomenda que os donos ofereçam a alimentação duas vezes por dia para o animal adulto – uma vez de manhã e outra à noite. Os filhotes demandam uma rotina diferente:

  • Até os dois meses de idade: alimentação quatro vezes ao dia;
  • A partir dos quatro meses de idade: alimentação três ao dia;
  • Após os oito meses idade: alimentação duas vezes ao dia ou de acordo com a recomendação do veterinário.

Outra vantagem de estabelecer essa rotina é que um cachorro com horário fixo para comer também manterá um horário para fazer suas necessidades fisiológicas. Já psicologicamente, ofertar a ração apenas na hora certa contribui para o cachorro compreender que você é o líder, ou seja, é o provedor (a) do alimento dele e, consequentemente, você precisa ser respeitado (a).

 

  1. Como definir a quantidade e o tipo de ração

Você notou como é cada mais vez comum a obesidade entre os cães? Isso acontece porque muitos tutores servem comida à vontade para os seus pet. Para evitar que o seu cão fique acima do peso o recomendado é ofertar a quantidade ideal visando a nutrição ideal do cachorro, sem ganho de peso excessivo.

E lembre-se: a quantidade de calorias que um cão precisa depende de seu tamanho, raça e nível de atividade. Sempre opte por uma ração adequada para a fase dele, ou seja, se ele é um filhote, um adulto, um idoso, fêmeas prenhas ou lactantes, que possuem necessidades energéticas específicas, etc. Na embalagem da ração, cheque qual é a quantidade total diária recomendada e divida essa quantidade pelo número de vezes que você irá alimentar o cão.

Já sobre os tipos de rações, normalmente, as rações da linha Super Premium podem ser oferecidas em menor quantidade que as normais, Premium e Standard.

 

  1. Quais frutas o cão pode comer?

Apesar de os cães serem carnívoros por natureza, eles podem usufruir de uma boa fruta fresca. Porém, é imprescindível destacar que os cães são diferentes dos seres humanos. Por esse motivo, algumas frutas são perfeitamente seguras para eles. Veja algumas delas:  

  • Laranja: além de auxiliar no controle da pressão arterial, é fonte de vitamina C e tem antioxidantes, substâncias antialérgicas e anti inflamatórias. Pode ser oferecida ao cão sem casca ou semente e em poucas quantidades;
  • Maçã: aumentam a imunidade e regulam a glicemia e são ricas em probióticos. Podem ser dadas sem sementes ou núcleo, com casca ou em pedacinhos;
  • Banana: ajuda na função intestinal e é ótima fonte de energia, rica em potássio, fibras e vitaminas A, do complexo B, C e E. É recomendável ser oferecida em pequena quantidade e sem casca;
  • Manga: a fruta tem carotenoides que fortalecem o sistema imunológico, sais minerais, fibras e vitaminas A, B e C. Previne o envelhecimento precoce e diminui o risco de doenças degenerativas. A indicação é oferece-la sem casca e sem caroço;
  • Pêra: aumenta a imunidade e protege o intestino de doenças inflamatórias. Ofereça ao seu cão em pequena quantidade, com casca, sem sementes/caroço.

 

  1. Cachorro pode comer carne crua?

De acordo com a maioria dos especialistas não. Pois, carnes cruas podem conter bactérias Escherichia coli que podem ser prejudiciais para os cães, causar doenças e até mesmo parasitas. O ideal é cozinhar a carne, antes de servir para o seu pet.

 

  1. Alimentos extremamente proibidos para os cães

A lista de alimentos extremamente proibidos para os cães é extensa. Neste último tópico, enumeramos alguns desses alimentos e explicamos quais os males eles podem causar ao seu pet:

  • Ossos: como os cachorros roem os ossos existe a tendência de formar uma massa sólida no trato digestivo, que pode causar uma constipação grave e inflamação. Além disso, eles podem ficar presos no céu da boca do cão e causar asfixia ou lacerações do estômago e intestinos, devido a estilhaços;
  • Álcool: pode desencadear vômitos, diarreia, falta de coordenação motora, depressão do sistema nervoso central, dificuldade respiratória, tremores, coma e até morte;
  • Produtos fermentados: podem dilatar o abdômen causando fermentação intestinal e dor severa.
  • Sal em excesso: vômitos, diarréia, tremores, depressão, elevação da temperatura corporal, sede excessiva, desequilíbrio eletrolítico grave, convulsões e até a morte.

 

Gostou do artigo de hoje? Tem alguma dúvida ou gostaria de fazer um comentário? Entre em contato conosco ou deixe o seu comentário abaixo!

Olá, deixe seu comentário para Guia alimentar: 5 dicas sobre a alimentação de seu cão

Enviando Comentário Fechar :/

Veja Também:

Artigos Relacionados